Colocando em prática

Palavras que curam: a literatura infantojuvenil na jornada da compreensão 

Por Paulo Lima

Estimativa de leitura: 3min 14seg

7 de novembro de 2023

“A literatura infantil é uma pedagogia do coração.”  
Gláucia de Souza 
 

A literatura infantojuvenil tem o poder de tocar os corações e mentes dos jovens de maneira única, abordando temas sensíveis de forma acessível e cativante. A Editora FTD Educação oferece uma vasta gama de obras e autores que nos permitem explorar e trabalhar com nossos estudantes questões importantes, como racismo, bullying e amor. Vamos conhecer quatro formas poderosas de utilizar essas obras para enriquecer nossa experiência em sala de aula: 

1. Combater o Racismo: 

O livro ilustrado Gente de cor cor de gente, de Maurício Negro, utiliza o termo “pessoas de cor” como ponto de partida para abordar temas essenciais, como preconceito, aceitação e pluralidade. A cada página, os leitores encontram dois personagens: um com pele negra e outro com pele de outra tonalidade. Juntos, eles experimentam momentos de fome, frio, medo, calor, irritação, diversão e alegria. A mensagem central do livro é que, independentemente da pigmentação da pele, todos os seres humanos partilham as mesmas inquietações, aspirações, alegrias e tristezas. 

2. Abordar o Bullying: 

A narrativa de Alessandro, um jovem italiano da Sicília, poderia facilmente se desenrolar em uma escola brasileira. Ele é um rapaz agressivo que hostiliza seus colegas sem perceber que está praticando o bullying, e também causa transtornos aos professores e funcionários da escola, agindo como se fosse o dono do lugar. Contudo, um dia, um incidente dramático altera a vida de todos, especialmente a dele. 

Nesta trama, o livro intitulado Eu, valentão, escrito por Giusi Parisi, da Itália e publicado no Brasil pela FTD Educação, aborda a problemática do bullying sob a perspectiva do agressor. Esta abordagem esclarecedora nos ajuda a compreender que tanto as vítimas da agressão quanto os que a praticam necessitam de apoio. Fica evidente que uma solução para esse problema deve ser baseada na compreensão e no acolhimento mútuo. 

3. Falar sobre Natureza e Sustentabilidade: 

Quanto vale a vida? Quanto vale a vida de um rio? “Junto à cabeceira, homens brancos instalam máquinas, arrancam árvores, ferem o solo, sujam minhas águas e ameaçam meus peixes”, queixa-se o rio, que se descontrola, enche, alaga e depois seca. O indígena Uala tenta salvar seu amigo. Frei Betto escreveu Uala, o amor quando foi preso político, na década de 1970, numa época em que pouco se falava de ecologia, muito menos de sustentabilidade. Seu engajamento com os indígenas não é menor: conviveu com os Apurinã, na fronteira do Acre com o Amazonas e foi amigo de um cacique Xavante. 

4. Fomentar a Solidariedade e a Empatia: 

No primeiro dia de aula, uma turma se reúne para conversar sobre um problema que voltou a assolar o Brasil: a fome. Com muita empatia, a turma tem uma ideia de que vai reverberar pela escola toda. Este é um tema relevante, especialmente no contexto atual de nossa sociedade, é trazido pelo livro Quem compartilha multiplica, de Fernando Carraro. A narrativa destaca que pequenas ações de generosidade e compaixão podem gerar um impacto significativo na sociedade e é um lembrete oportuno de como todos nós podemos contribuir para a construção de um mundo melhor ao compartilhar e multiplicar o cuidado e a ajuda ao próximo. 

Nossa jornada com a literatura infantojuvenil da editora FTD Educação nos lembra que as palavras podem curar, inspirar e transformar. Ao explorar essas quatro formas de trabalhar temas sensíveis em sala de aula, procuramos orientar mentes jovens para um mundo mais justo, empático e amoroso. Através dessas histórias, nossos estudantes podem não apenas entender, mas também abraçar as diferenças e desafiar as injustiças, tornando-se cidadãos ativos em busca de um mundo melhor. 

Tags Relacionadas:
Consultor Educacional Confessional da FTD
O que achou dessa matéria?

O que achou dessa matéria?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

mais recentes
Dicas
Dúvidas sobre como criar um cronograma de estudos? Descubra aqui
futuro verde nas olimpiadas
Dicas
Sustentabilidade: o futuro verde das Olimpíadas e Paraolimpíadas
futuro verde nas olimpiadas
Sustentabilidade: o futuro verde das Olimpíadas e Paraolimpíadas
jogos paraolimpicos
Dicas
Paraolimpíadas: superação e inclusão no esporte 
jogos paraolimpicos
Paraolimpíadas: superação e inclusão no esporte 
Família
A importância da relação familiar para o desenvolvimento das crianças
A importância da relação familiar para o desenvolvimento das crianças

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro: