Conteúdo formativo Educador Gestão Escolar

ESG na Educação: acessibilidade digital e inclusão na prática  

Por FTD Educação

Estimativa de leitura: 15min 8seg

21 de maio de 2024

A adoção dos princípios ESG na educação é uma questão de responsabilidade social. 

No cenário atual, marcado pela constante evolução da tecnologia e da informação, em que a educação enfrenta desafios que transcendem os limites físicos da sala de aula, adotar princípios ESG é um chamado para a inclusão e a diversidade, uma convocação para assegurar que todos os alunos tenham acesso equitativo ao conhecimento e às oportunidades que ele oferece.  

Em uma recente pesquisa realizada pela BigDataCorp, em colaboração com o Movimento Web para Todos, sobre a acessibilidade dos sites para pessoas com deficiência, menos de 1% foi classificado como acessível.  

O estudo examinou 21 milhões de páginas no país, revelando que 99,54% delas apresentaram alguma forma de falha de acessibilidade durante os testes. Este dado é alarmante e sugere que, se focalizarmos a pesquisa em sites acessíveis para uma deficiência específica, os números seriam ainda mais desanimadores. 

Nesse contexto, os princípios ESG (sustentabilidade, responsabilidade social e governança) emergem como elementos cruciais desse objetivo educacional. Eles não apenas promovem uma abordagem holística para enfrentar os desafios educacionais, mas também garantem que todas as partes interessadas sejam consideradas. 

Você já está familiarizado com o conceito ESG aplicado à educação? Continue lendo para compreender a relevância desse princípio e saber como integrá-lo à rotina escolar. Boa leitura! 

O que é ESG? 

ESG é uma sigla que representa três pilares fundamentais da responsabilidade corporativa e sustentabilidade: Ambiental, Social e Governança (Environmental, Social and Governance, em inglês).  

Esses critérios são empregados por investidores para avaliar o desempenho não apenas financeiro, mas também social e ambiental das empresas, determinando assim seu impacto global. 

No entanto, o conceito ESG também abraça a sustentabilidade na educação, incorporando esses três pilares e propondo uma abordagem que não apenas beneficie o meio ambiente e a formação dos estudantes, mas também contribua positivamente para a sociedade, além de otimizar a gestão pedagógica e escolar da instituição. 

A importância e os benefícios do ESG na educação 

Quando aplicado à educação, o conceito ESG pode ser interpretado de maneira a promover práticas educacionais mais sustentáveis, inclusivas e transparentes. Aqui estão algumas maneiras de aplicar os princípios ESG na educação

  • Sustentabilidade Ambiental: As instituições educacionais podem adotar políticas e práticas que reduzam seu impacto ambiental, como a implementação de programas de reciclagem, a redução do consumo de energia, a promoção do transporte sustentável (como bicicletas e transporte público) e a incorporação de conteúdo sobre sustentabilidade nos currículos. 
  • Responsabilidade Social: As escolas podem promover a diversidade, a equidade e a inclusão, garantindo que todos os alunos tenham acesso igualitário a oportunidades educacionais. Isso pode incluir programas de bolsas de estudo para estudantes de baixa renda, apoio a estudantes com necessidades especiais e a promoção de um ambiente escolar seguro e acolhedor para todos os alunos, independentemente de sua origem étnica, cultural, religiosa ou socioeconômica. 
  • Governança efetiva: As instituições educacionais devem ser administradas de forma transparente e ética. Isso envolve a prestação de contas, a transparência na tomada de decisões, a gestão responsável dos recursos financeiros e a promoção de uma cultura de integridade e ética em toda a comunidade educacional. 
  • Integração nos currículos: Os princípios ESG podem ser integrados aos currículos escolares de várias maneiras, desde a inclusão de tópicos relacionados à sustentabilidade e responsabilidade social em disciplinas como ciências, estudos sociais e ética, até a realização de projetos e atividades práticas que abordem questões ESG específicas. 

Construindo um futuro inclusivo: responsabilidade social e acessibilidade digital na escola 

Na busca por um futuro verdadeiramente inclusivo, as escolas desempenham um papel fundamental ao incorporar tanto a responsabilidade social quanto a acessibilidade digital em seu ethos educacional, promovendo a diversidade e inclusão na empresa. 

A responsabilidade social na escola vai além do simples cumprimento de obrigações éticas e legais. Envolve um compromisso ativo de promover a equidade, a justiça social e o bem-estar de toda a comunidade escolar. 

Isso significa criar um ambiente que valorize a diversidade, celebre as diferenças e ofereça suporte adequado a todos os alunos, independentemente de suas origens, habilidades ou circunstâncias individuais. 

Uma parte essencial desse compromisso é garantir a acessibilidade digital. Isso implica em tornar o conteúdo digitalmente disponível na escola acessível a todos, incluindo alunos com deficiências visuais, auditivas, motoras ou cognitivas.  Entenda mais a seguir! 

O que é acessibilidade digital? 

Conforme o Governo Federal, a acessibilidade digital é a eliminação de barreiras no ambiente digital.  

A acessibilidade digital é a prática de garantir que as tecnologias da informação e comunicação (TIC), como sites, aplicativos, documentos digitais e outros recursos on-line, sejam projetadas e desenvolvidas de forma a serem utilizáveis por todas as pessoas, incluindo aquelas com deficiências visuais, auditivas, motoras, cognitivas ou outras limitações. 

Isso envolve tornar o conteúdo digitalmente disponível percebido, operável e compreensível por uma ampla gama de usuários, independentemente de suas habilidades ou dispositivos de acesso.  

Algumas medidas comuns de acessibilidade digital incluem: 

  • o uso de descrições de imagens para pessoas cegas ou com baixa visão; 
  • legendas em vídeos para pessoas surdas ou com deficiência auditiva; 
  • teclas de atalho para facilitar a navegação por pessoas com dificuldades motoras; 
  • o uso de linguagem simples para facilitar a compreensão por pessoas com dificuldades cognitivas. 

Observe que a acessibilidade digital, dentro do contexto do ESG na educação, desempenha um papel crucial. Ela não só elimina as barreiras que impedem o acesso ao aprendizado, mas também promove a inclusão na prática. 

Ao garantir que todos os alunos, independentemente de suas habilidades ou deficiências, tenham acesso igualitário aos recursos educacionais, a acessibilidade digital torna-se um instrumento poderoso para a promoção da diversidade e da inclusão. 

Por meio da adoção de tecnologias assistivas e práticas pedagógicas inclusivas, as escolas podem criar um ambiente educacional que valoriza e celebra a diversidade.  

Ao incorporar os princípios ESG em sua cultura institucional, as escolas não apenas cumprem seu dever ético, mas também se tornam agentes de transformação social. 

Acessibilidade inclusiva para integrar pessoas com deficiências 

As pessoas com deficiência representam um enorme mercado consumidor, porém muitas vezes são subestimadas e negligenciadas, tanto no comércio físico quanto no eletrônico.  

No Brasil, as pessoas com deficiência totalizam 17,3 milhões de indivíduos, representando 8,4% da população, enquanto globalmente ultrapassam 1 bilhão. 

Ignorar esses dados prejudica a acessibilidade e resulta em perdas significativas para empresas em todo o mundo.  

Portanto, é essencial que as organizações reexaminem suas estratégias de acessibilidade e inclusão social, garantindo que as oportunidades para as PCDs sejam devidamente consideradas e integradas. 

Promova a acessibilidade inclusiva na escola: estratégias práticas 

Antes de discutir essas estratégias, é importante compreender o que é a Língua Brasileira de Sinais (Libras). 

O que é a Língua Brasileira de Sinais? 

A Libras é muito mais do que uma linguagem gestual; é uma língua completa, com estrutura gramatical própria e nuances que a tornam única. 

A língua de sinais não é universal. Assim como qualquer outra língua, a Língua Brasileira de Sinais (Libras) também possui variações regionais e culturais. Ao contrário do português, na Libras não há tempos verbais ou artigos. Sua organização é totalmente diferente e não são apenas os sinais que importam, mas também as expressões faciais e corporais.  

Uma simples mudança na expressão facial pode alterar completamente o sentido de uma frase, demonstrando a riqueza e complexidade dessa língua visual. 

Infelizmente, apesar do reconhecimento legal da Libras, a realidade educacional para muitos surdos ainda é desafiadora. 

Segundo dados da Federação Mundial dos Surdos (WFD), cerca de 80% dos surdos em todo o mundo enfrentam dificuldades significativas de alfabetização e baixa escolaridade. 

No Brasil, essa realidade não é diferente. A maioria dos surdos não possui fluência no português escrito, o que dificulta sua compreensão e habilidades de leitura e escrita. 

A dependência exclusiva da Libras para comunicação e obtenção de informações reflete a importância dessa língua na vida dos surdos.  

As dificuldades de aprendizado da língua portuguesa escrita podem estar relacionadas a uma série de fatores, como a impossibilidade de aprendizagem baseada em sons e fonética, a aquisição tardia da linguagem ou as diferenças estruturais entre a Libras e o português. 

Nesse contexto, o reconhecimento e a valorização da Libras como língua oficial são fundamentais para promover a inclusão e garantir direitos básicos para a comunidade surda.  

Como promover a acessibilidade inclusiva na escola? 

1. Comunicação visual 

Utilize recursos visuais sempre que possível para complementar a comunicação verbal. Isso pode incluir o uso de apresentações em slides, gráficos, imagens e vídeos com legendas para transmitir informações de maneira mais acessível. 

2. Intérpretes de língua de sinais 

Ofereça a presença de intérpretes de língua de sinais nas aulas, reuniões e eventos escolares para garantir que os alunos com deficiência auditiva tenham acesso completo à comunicação oral. 

3. Legendagem em tempo real 

Para eventos ao vivo, como palestras ou apresentações, forneça serviços de legendagem em tempo real para garantir que as pessoas com deficiência auditiva possam acompanhar o conteúdo falado. 

4. Material didático acessível 

Disponibilize material didático em formatos acessíveis para alunos com deficiência auditiva, como transcrições de áudio, textos digitais e recursos on-line com opções de legendas e tradução para língua de sinais. 

5. Espaços de aprendizagem inclusivos 

Crie ambientes de aprendizagem que atendam às necessidades de todos os alunos, incluindo aqueles com deficiência auditiva. Isso pode envolver a disposição de assentos na frente da sala para facilitar a leitura labial e a garantia de boa iluminação para melhorar a comunicação visual. 

6. Sensibilização e treinamento 

Promova a sensibilização e ofereça treinamento para educadores, funcionários e colegas de classe sobre como interagir e apoiar alunos com deficiência auditiva de maneira eficaz e inclusiva. 

7. Tecnologia assistiva 

Utilize tecnologias assistivas, como amplificadores de som, sistemas de frequência modulada (FM) e aplicativos de comunicação alternativa, para auxiliar alunos com deficiência auditiva em sala de aula e fora dela. 

8. Parcerias com a comunidade 

Estabeleça parcerias com organizações e profissionais especializados em deficiência auditiva para obter suporte adicional e recursos para alunos com essa necessidade. 

Ao implementar essas práticas, a escola pode criar um ambiente inclusivo e acessível que atenda às necessidades de todos os alunos, incluindo aqueles com deficiência auditiva, e promova uma educação de qualidade para todos. 

Como começar a adoção do ESG na escola? 

Para começar a adoção dos princípios ESG (ambientais, sociais e de governança) na escola, é importante seguir algumas etapas fundamentais: 

1. Comprometimento da liderança 

O primeiro passo é garantir o comprometimento da direção da escola com a adoção dos princípios ESG. Isso envolve entender a importância desses princípios e liderar pelo exemplo, demonstrando um compromisso claro e visível com a sustentabilidade, a responsabilidade social e uma governança eficaz. 

2. Avaliação da situação atual 

Realize uma avaliação abrangente da situação atual da escola em relação aos critérios ESG. Isso pode envolver uma análise do impacto ambiental das operações da escola, uma avaliação da inclusão e equidade dentro da comunidade escolar e uma revisão da estrutura de governança e transparência da escola. 

3. Estabelecimento de metas e métricas 

Com base na avaliação inicial, estabeleça metas e métricas específicas para guiar a adoção dos princípios ESG na escola. Isso pode incluir metas para reduzir o consumo de energia, aumentar a diversidade e inclusão na escola e melhorar a transparência e responsabilidade na tomada de decisões. 

4. Engajamento da comunidade escolar 

Envolver toda a comunidade escolar – incluindo alunos, pais, professores, funcionários e membros da comunidade local – no processo de adoção dos princípios ESG. Isso pode incluir a realização de reuniões, workshops e outras atividades de engajamento para obter feedback e apoio. 

5. Integração nos currículos e práticas educacionais 

Integre os princípios ESG nos currículos escolares e práticas educacionais. Isso pode envolver a inclusão de conteúdo sobre sustentabilidade, responsabilidade social e ética em diferentes disciplinas, bem como a promoção de atividades práticas que incentivem os alunos a aplicarem esses princípios em suas vidas cotidianas. 

6. Monitoramento e avaliação 

Implemente um sistema de monitoramento e avaliação para acompanhar o progresso em direção às metas estabelecidas e identificar áreas para melhoria contínua. 

Isso pode incluir a coleta regular de dados sobre o desempenho ambiental da escola, a realização de pesquisas de clima organizacional para avaliar a inclusão e o envolvimento da comunidade escolar e a revisão periódica das políticas e práticas em relação aos princípios ESG na educação. 

Ao seguir essas etapas e comprometer-se com a implementação dos princípios ESG, a escola pode não apenas melhorar seu desempenho ambiental, social e de governança, mas também promover uma cultura de sustentabilidade, inclusão e responsabilidade em toda a comunidade escolar. 

SAC Libras: opção de atendimento em Libras amplia a acessibilidade de pessoas surdas 

Em todo o mundo, milhões de pessoas enfrentam desafios relacionados à surdez, evidenciando a necessidade premente de medidas inclusivas e sustentáveis para garantir sua participação plena na sociedade. 

No Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há aproximadamente 10 milhões de pessoas com algum grau de deficiência auditiva.  

Portanto, a introdução do atendimento em Libras pela FTD Educação assume um papel crucial na promoção e valorização da diversidade e inclusão das empresas. 

A Lei nº 10.436, em vigor desde 2002, reconhece a Libras como meio legal de comunicação e expressão no país.  No entanto, desafios persistem para a comunidade surda, desde a aprovação de leis incentivadoras para a contratação de pessoas surdas até a ampliação do ensino da Libras nas escolas. Essas medidas não apenas beneficiam os indivíduos surdos, mas enriquecem toda a sociedade com diversidade e inclusão. 

A FTD Educação, líder nacional em soluções educacionais, em parceria com a ICOM – Plataforma de Atendimento em Língua de Sinais – referência em diversidade e inclusão, passou a incluir o atendimento em Língua Brasileira de Sinais (Libras) aos seus consumidores.  

Essa iniciativa é um passo significativo em direção à inclusão e diversidade, fortalecendo o compromisso da FTD Educação com uma educação acessível e igualitária para todos. 

Afinal, a inclusão é um valor essencial para a FTD Educação e essa parceria com a ICOM representa um marco significativo para garantir que todos os consumidores tenham acesso igualitário e atendimento inclusivo aos seus produtos e serviços.  

Ao oferecer atendimento em Libras, a FTD Educação reafirma seu compromisso com a comunidade surda, reconhecendo a importância da linguagem como meio de comunicação e aprendizado. 

Por meio dessa parceria, a FTD Educação pretende ampliar a acessibilidade de seus produtos e serviços, garantindo que estudantes surdos e suas famílias tenham suporte adequado para aproveitar ao máximo as oportunidades educacionais. 

Agora, os consumidores da FTD Educação podem entrar em contato no site Lumisfera e receber atendimento em Libras, promovendo uma experiência mais inclusiva e acessível para todos. 

Ao oferecer atendimento em Libras, a FTD Educação não apenas facilita o acesso de consumidores surdos aos seus produtos e serviços, mas também reforça a importância da inclusão em todas as esferas da vida.  

Essa iniciativa destaca o compromisso da FTD Educação e da ICOM em promover uma sociedade mais inclusiva e igualitária, onde todos, independentemente de suas habilidades auditivas, possam participar plenamente na vida. 

Confira como funciona o atendimento em Libras! 

Você sabia que a FTD Educação foi batizada com um sinal em Libras pela própria comunidade surda? 

O sinal em Libras é equivalente ao nosso RG, a nossa identidade. Está normalmente relacionado a uma característica visual marcante das pessoas e empresas. 

Em suma, a implementação de iniciativas como um canal exclusivo em Libras no e-commerce aprimora de forma significativa a experiência de compra, como também promove a inclusão social e a autonomia para indivíduos surdos. 

O que achou dessa matéria?

O que achou dessa matéria?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

mais recentes
cantigas de roda
Conteúdo para Aulas
Brincadeiras de roda: tradição, diversão e aprendizado para as crianças 
Dicas
Dúvidas sobre como criar um cronograma de estudos? Descubra aqui
Dúvidas sobre como criar um cronograma de estudos? Descubra aqui
futuro verde nas olimpiadas
Dicas
Sustentabilidade: o futuro verde das Olimpíadas e Paraolimpíadas
futuro verde nas olimpiadas
Sustentabilidade: o futuro verde das Olimpíadas e Paraolimpíadas
jogos paraolimpicos
Dicas
Paraolimpíadas: superação e inclusão no esporte 
jogos paraolimpicos
Paraolimpíadas: superação e inclusão no esporte 

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro: