Enem e Vestibular

Tudo que você precisa saber sobre o curso de Educação Física

Por

Estimativa de leitura: 11min 14seg

6 de novembro de 2023

No Brasil, o curso de educação física é reconhecido na área da Saúde devido ao seu importante papel na melhoria da saúde e qualidade de vida da sociedade. 

Você sempre gostou de praticar esportes e de fazer atividade física e está se perguntando se o curso de educação física é para você? Se está perto de fazer o Enem, neste artigo, você vai conhecer como é o curso de educação física e saber se ele realmente é para você.

Ou quem sabe você é daquelas pessoas que têm aversão a academia, mas ainda assim tem um desejo profundo de atuar na área da educação física e tem dúvida se essa é a profissão certa para você.

Neste artigo, vamos tirar todas as suas dúvidas e explicar como é o curso de educação física, qual é a diferença entre as modalidades de bacharelado e licenciatura, quais são as diversas áreas em que esse profissional pode atuar. Também vamos quebrar alguns mitos em torno dessa profissão. Acompanhe a leitura para saber mais!

Como é o curso de educação física

No Brasil, o curso de educação física está inserido no grupo pertencente aos cursos da área da Saúde, segundo a classificação proposta pelo Ministério da Educação (MEC).

Esse reconhecimento existe devido à importância do papel dos profissionais de educação física na promoção e melhoria da saúde e pelo seu incentivo à prática esportiva, que ajuda a combater o sedentarismo e a melhorar a qualidade de vida da população.

No curso de graduação em educação física, fazem parte da grade curricular as seguintes disciplinas:

  • Anatomia Humana;
  • Filosofia e Ética;
  • Introdução à Educação Física e ao Esporte;
  • Didática e Metodologia do Ensino da Educação Física;
  • Fisiologia do Exercício;
  • Psicologia do Esporte;
  • Avaliação em Educação Física;
  • Legislação e Política Educacional;
  • Saúde Coletiva e Promoção da Saúde;
  • Estágio Supervisionado em Treinamento Esportivo;
  • Metodologia da Pesquisa em Educação Física;
  • Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Conforme a instituição ou a modalidade do curso escolhida, a grade curricular e as disciplinas que você vai estudar também podem variar.

Diferença entre bacharelado e licenciatura

No curso de educação física, o estudante tem a opção de escolher qual será sua modalidade de formação: bacharelado ou licenciatura. Cada uma dessas opções terá um tipo de jornada acadêmica diferente e habilitará o profissional de educação física para atuar em diferentes áreas. Veja, a seguir, qual é a diferença entre as duas modalidades.

Bacharelado

No bacharelado em educação física, a jornada acadêmica do estudante será focada no preparo profissional para atuar em espaços como clubes, academias e também para oferecer treinamentos esportivos, por exemplo.

Ao final do curso na modalidade de bacharelado, que dura aproximadamente quatro anos ou oito semestres letivos, o estudante deve escolher um tema de pesquisa e elaborar um trabalho de dissertação de conclusão de curso, também conhecido como monografia ou TCC. Este poderá ser apresentado a uma banca de professores e orientadores para aprovação do estudante ao fim do curso.

O estudante de educação física tem a possibilidade de escolher seu percurso acadêmico, que varia conforme a modalidade escolhida: licenciatura, que habilita o estudante a dar aulas, ou bacharelado, que permite a atuação como instrutor de educação física em clubes e academias, entre outras possibilidades de atuação.

Licenciatura

Os estudantes que optam pela modalidade de licenciatura em educação física geralmente são aqueles que têm uma paixão pelas escolas e salas de aula, já que essa modalidade torna o estudante apto para dar aulas de educação física no ensino fundamental e médio.

A grade curricular para ambas as modalidades costuma ser bem parecida, com a diferença de que, na licenciatura, o estudante precisa cursar disciplinas específicas de didática e pedagogia para aprender a lecionar. Essas disciplinas pedagógicas e o estágio supervisionado em escolas podem acrescentar mais um semestre à carga horária do curso, dependendo da instituição de ensino, entretanto, habilitam o estudante para se tornar um professor de educação física.

Veja, a seguir, quais as áreas de atuação possíveis para o profissional formado em educação física.

Áreas de atuação para o educador físico

Como você viu, o profissional que se forma em licenciatura em educação física está habilitado para ensinar em escolas, enquanto o bacharel na área pode atuar em diversas vertentes. Veja, a seguir, alguns exemplos de áreas de atuação para o educador físico.

Ensino em escolas

A trajetória mais comum para o profissional formado em educação física é se tornar professor da disciplina no ensino fundamental e médio, em escolas públicas ou privadas. Nesse caso, o educador físico tem o papel de apresentar e orientar os estudantes a respeito das modalidades de esportes e atividades físicas, incentivando as práticas entre eles.

Na prática do ensino escolar, o educador físico também pode se tornar técnico de equipe escolar, montando times para competirem em torneios com times de outras escolas. Além de conquistar prêmios para a escola pelo bom desempenho nas competições, o professor às vezes acaba descobrindo talentos que podem se tornar grandes atletas mirins.

Projetos na área de educação física

Outra possibilidade de trabalho para o profissional de educação física é a atuação no desenvolvimento de projetos na área para incentivar a prática de atividades físicas nas comunidades locais. Programas de combate ao sedentarismo ou programas de ginástica focados em públicos específicos são alguns exemplos desse campo de atuação.

Esportes

Por falar em técnico de equipe escolar, outra área comum de atuação dos educadores físicos é como treinador ou técnico esportivo. Seja para um atleta profissional de alta performance, seja para um candidato a concurso que precisa ter bom desempenho nas provas de aptidão física, o profissional de educação física pode fornecer um treinamento especializado como preparador físico.

Ginástica laboral

Os altos índices de sedentarismo no Brasil têm feito as empresas se preocuparem mais com a ergonomia no ambiente de trabalho. Para combater o desconforto ocasionado por muitas horas na mesma posição durante o trabalho e os afastamentos por doenças, o educador físico pode trabalhar promovendo a ginástica laboral, que é uma série de exercícios orientados por um profissional com o objetivo de promover a saúde no ambiente de trabalho.

Lazer

Outra opção além do ensino para quem tem jeito com crianças é trabalhar na área de lazer como recreador, monitor de colônia de férias ou instrutor de atividades ao ar livre. Nesse caso, o profissional fica responsável por desenvolver e monitorar atividades físicas para grupos de jovens, crianças, adultos e até idosos. Essa é mais uma forma de trazer o esporte e a atividade física para o dia a dia das pessoas, de forma lúdica.

Academias

O educador físico também pode atuar como instrutor de academia, preparando avaliações físicas para pessoas que desejam começar a prática de musculação e montando as fichas de treino próprias conforme cada objetivo: emagrecimento, desenvolvimento de músculos, melhora do condicionamento físico, entre outros.

Reabilitação

O profissional de educação física também pode atuar em conjunto com outros profissionais de fisioterapia em clínicas e hospitais, reabilitando pacientes com doenças crônicas ou que sofreram acidentes. Nesse caso, os educadores físicos vão auxiliar com o fortalecimento físico desses pacientes, tendo um importante papel na cura e restabelecimento da saúde.

Assessoria esportiva

O trabalho do assessor esportivo é uma extensão ao trabalho do treinador. Ele é o profissional responsável por ajudar na melhora da performance de atletas que se dedicam a participar de competições, passando treinos específicos de alta performance e acompanhando os resultados e desempenho.

Pesquisa

Para quem se forma como bacharel em educação física, a área de pesquisa também é uma possibilidade para os estudantes que almejam ir a fundo na jornada acadêmica. Para quem deseja conquistar especializações e aprofundar seus conhecimentos na área, os institutos de pesquisa buscam profissionais de diversas áreas e oferecem bolsas de estudo para iniciação científica.

Mitos e verdades sobre o curso de educação física

Você tem interesse no curso de educação física, mas ainda tem algumas dúvidas sobre algo que ouviu por aí a respeito do curso? Então, continue a leitura e confira alguns mitos e verdades que viemos desmitificar para você!

Só pode ser educador físico quem gosta de praticar esportes

Você é do time da pizza e Netflix, passa longe de correr e suar e está pensando se a educação física é para você? Pois saiba que é um mito ser necessário gostar de praticar esportes para se graduar nessa área.

Claro que ter uma inclinação para a prática esportiva torna mais fácil e prazeroso o estudo sobre as diversas modalidades de esportes, mas, como apontam alguns profissionais da área, o mais importante é gostar de pessoas, pois o profissional terá contato constante com elas na promoção de saúde e qualidade de vida.

O educador físico só pode atuar em academias e escolas

Isso é um mito. Como você viu neste mesmo artigo, as possibilidades de atuação para o profissional de educação física são diversas, não só em escolas e academias, mas também no treinamento de atletas profissionais.

Ainda, para os apaixonados pela área da saúde, há a possibilidade de trabalhar na reabilitação física de pessoas que sofreram acidentes ou que tiveram doenças que afetaram sua mobilidade, além de atuar em institutos de pesquisa e até em empresas, oferecendo aulas de ginástica laboral para os colaboradores, por exemplo.

A remuneração do educador físico é baixa

Isso também é um mito. No caso de um professor de educação física, por exemplo, sua remuneração será baseada na quantidade de aulas que ele consegue conciliar em sua carga horária, podendo atuar em escolas ou oferecendo seus serviços como treinador.

De toda forma, a remuneração depende do quanto o profissional investe em conhecimento e aperfeiçoamento da carreira e o quanto ele está disposto a se lançar nas oportunidades do mercado de trabalho.

Na faculdade só se aprende a prática dos esportes

Isso é um mito. Embora a prática esportiva seja o grande foco do curso, na graduação o estudante também verá outras disciplinas, como:

  • anatomia e fisiologia, que permitem a melhor compreensão do corpo humano;
  • biomecânica e cinesiologia, que estudam o movimento humano e as forças envolvidas no processo;
  • psicologia e sociologia do esporte, que envolvem o estudo do comportamento humano e das interações sociais no contexto esportivo;
  • recreação e lazer, que estudam as atividades recreativas e seu papel na sociedade;
  • educação especial e inclusiva, desenvolvendo estratégias para adaptar as atividades físicas para pessoas com necessidades especiais.

Assim, o estudante sai da graduação com uma bagagem de diversos conhecimentos, como metodologias de pesquisa, ética profissional e comunicação. Além disso, se tiver optado pela modalidade de licenciatura, o estudante estudará didática e metodologias de ensino.

Após a graduação, é possível trabalhar em hospitais

Sim, o profissional de educação física pode trabalhar na etapa final do processo de fortalecimento físico de pacientes em reabilitação, podendo atuar também dentro de hospitais, auxiliando fisioterapeutas.

Educação física é um curso fácil

Mito. O curso de educação física, assim como qualquer outro, não é um curso fácil e requer dedicação e regramento nos estudos para compreensão das disciplinas. Até porque, elas envolvem teorias complexas, anatomia, fisiologia e metodologias de ensino, fazendo com que seja um curso completo e multidisciplinar.

O curso de educação física não é relevante atualmente

Mito. Pelo contrário, diante da digitalização da sociedade, o sedentarismo se torna um problema crescente não só entre os adultos mas também entre as crianças e adolescentes. Daí a importância da promoção da saúde e da atividade física por meio do trabalho dos educadores físicos, que podem desenvolver projetos a fim de incentivar a prática de exercícios.

Como você viu, o curso de educação física é muito amplo e traz diversas possibilidades de atuação profissional. O curso também não está limitado somente a quem se interessa pela prática de atividades físicas ou quem deseja aprender sobre esportes, pois ele é para qualquer estudante que tenha o desejo de servir pessoas e de promover melhorias em sua saúde.

No curso de educação física, o estudante terá contato com diversas disciplinas que ampliarão sua bagagem de conhecimentos. Se você tem muitos interesses e não sabe ainda qual profissão seguir, dê uma olhada também neste outro artigo!

O que achou dessa matéria?

O que achou dessa matéria?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

mais recentes
Colunistas
O caso do ET de Varginha e a perspectiva de um local 
Colunistas
Ano de eleições municipais: o que precisamos lembrar? 
Ano de eleições municipais: o que precisamos lembrar? 
Notícias
Bett Brasil 2024: FTD Educação traz inovações para a gestão educacional  
Bett Brasil 2024: FTD Educação traz inovações para a gestão educacional  
Dicas
Diversidade: saiba como colocar mais livros diversos na sua lista!
Diversidade: saiba como colocar mais livros diversos na sua lista!

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro: