Família

Termos racistas para excluir do nosso vocabulário

Por FTD Educação

Estimativa de leitura: 5min 30seg

8 de novembro de 2023

A discriminação racial existe não só em comportamentos da sociedade, como também vem sendo reproduzida até mesmo na língua, com o uso de termos racistas.

Você sabia que muitas expressões culturais são consideradas termos racistas? Em novembro, comemoramos o Mês da Consciência Negra e, nesse período, ressaltamos a importância da discussão sobre o combate ao racismo no Brasil.

A realidade é que a discriminação racial está presente na sociedade e pode ser vista até mesmo na língua, com o uso de termos ofensivos. Pensando nisso, neste artigo, trouxemos alguns termos racistas que devem ser excluídos do nosso vocabulário e substituídos por palavras menos agressivas. Acompanhe a leitura!

Lápis cor de pele

Há muitos anos, a referência ao pedir um lápis no tom “cor de pele” a um colega de sala era a de receber um lápis na cor bege ou salmão, excluindo e desconsiderando os tons de pele pretos ou marrons.

Porém, hoje em dia, esse termo não é mais usado. Os lápis são referidos pelas respectivas cores, já que “cor de pele” existem várias!

Além disso, atualmente, algumas marcas de materiais escolares lançaram até linhas de lápis de cor, giz de cera e canetinhas com o tema “tons de pele”, colocando à disposição tons variados, desde os mais claros até os mais escuros, com variações em até 24 cores.

Da cor do pecado

Falando em cores, a expressão “da cor do pecado” traz com ela mais de um problema. O primeiro é que, apesar de ser usada muitas vezes como um elogio, a expressão demonstra a hipersexualização da mulher de pele negra. O segundo problema desse termo é a associação da pele escura a algo pecaminoso e, portanto, ruim.

Serviço de preto

A expressão “serviço de preto” é de extremo mau gosto e é muito usada para se referir a trabalhos feitos de forma descuidada, malfeita, com má qualidade. Mais um termo racista que deve ser evitado na comunicação.

A coisa tá preta

A expressão “a coisa tá preta” tem um significado parecido com o termo anterior, passando a ideia de que as coisas estão difíceis, ruins ou difíceis. O ideal para substituir o termo sem causar constrangimentos poderia ser usar a expressão “a coisa tá difícil” ou “a coisa tá complicada”, por exemplo.

Boçal

Você sabe o significado da palavra boçal? O termo era muito comum no período escravocrata para falar de uma pessoa rude, grosseira, sem cultura e sem educação. Dessa maneira, a expressão pode ser evitada e substituída simplesmente pelas palavras “ignorante” ou “grosseiro”.

Cabelo ruim

Nem precisamos dizer que se referir a uma pessoa dizendo que ela tem cabelo ruim é extremamente ofensivo, certo? Nesse caso, a expressão entra na lista de termos racistas porque é comum que algumas pessoas tratem os cabelos crespos, black power e cacheados, típicos cabelos afro, como “cabelo ruim”, em tom discriminatório.

Eu não sou tuas negas

Existem algumas possibilidades para a origem dessa expressão, sendo considerada racista. A primeira delas é a ideia de que, no período escravagista, as mulheres negras estavam sempre disponíveis para a atividade sexual, sofrendo constantes abusos e assédios, o que não acontecia com as mulheres brancas.

A outra possibilidade de origem para essa expressão faz referência às mulheres negras escravizadas pertencerem a um senhor, que poderia dispor delas como desejasse, inclusive em atividades sexuais. De todas as formas, esse termo racista expressa a desvalorização da mulher negra, tratada como um objeto.

Nhaca

A expressão “nhaca” ou “inhaca”, desde o período colonial no Brasil, é usada para se referir ao mau cheiro e a odores fortes e ruins vindos de pessoas ou de animais.

O que muitas pessoas não sabem é que a palavra inhaca se refere ao nome de uma ilha localizada na baía de Maputo, em Moçambique, sendo usada também para designar o rei e líder supremo desse país. Dessa forma, a expressão deve ser evitada, respeitando a diversidade cultural de matriz africana.

Samba do crioulo doido

Tendo sua origem na música de mesmo nome composta pelo artista Stanislaw Ponte Preta, em 1968, a expressão “samba do crioulo doido” faz referência a alguma coisa que não faz muito sentido, a alguma coisa ou um ambiente em que está desorganizado e confuso. Além disso, o termo “crioulo” é utilizado pejorativamente para se referir a uma pessoa negra, devendo ser evitado.

Meia tigela

A expressão “meia tigela” ou “de meia tigela” significa algo de valor insignificante. A origem da expressão está associada à época da monarquia portuguesa, em que os trabalhadores escravizados eram servidos com uma porção de alimento correspondente à qualidade do serviço prestado.

No caso, a meia tigela correspondia a um serviço de qualidade inferior, medíocre. Embora não haja um consenso sobre a verdadeira origem dessa expressão, ela também entra na lista de termos racistas que devem ser evitados, por remeter à época da escravidão.

Nasceu com um pé na cozinha

Essa expressão é usada quando se quer dizer que alguém é de descendência negra ou tem pessoas negras em suas origens, remetendo ao serviço escravo, no qual as mulheres negras trabalhavam na cozinha. Mais uma expressão de cunho racista que deve ser evitada.

Negra de traços finos/brancos

Dizer que uma pessoa negra tem traços finos ou traços de brancos, na visão de algumas pessoas, pode parecer um elogio, mas, na verdade, é uma expressão que acaba sendo associada ao racismo.

Isso porque ela passa uma ideia de que os traços físicos originais de pessoas negras são tidos como feios ou grosseiros, sendo consideradas belas apenas pessoas negras com traços mais finos, típicos de brancos, excluindo a diversidade. Nem precisamos dizer que essa expressão deve ser abolida, né?

Nega maluca

O famoso bolo feito de chocolate e conhecido como “nega maluca” também traz um termo que deve ser abandonado, já que não faz sentido algum e pode acabar soando ofensivo para algumas pessoas, podendo ser chamado simplesmente de bolo de chocolate.

Como você viu, existem diversos termos racistas que devem ser substituídos por outras expressões menos agressivas, e outros devem ser até mesmo abolidos do nosso vocabulário.

E aí, o que você acha dessas expressões? Você sabia da origem e do significado delas? Conta para gente nos comentários!

O que achou dessa matéria?

O que achou dessa matéria?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3.6 / 5. Número de votos: 7

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

mais recentes
Conteúdo para Aulas
Protagonismo estudantil: veja a importância e como aplicar!
Enem e Vestibular
Da prensa Gutenberg ao PNLD – A história do livro didático no Brasil
Da prensa Gutenberg ao PNLD – A história do livro didático no Brasil
Família
Ensino bilíngue: entenda como funciona e suas vantagens!
Ensino bilíngue: entenda como funciona e suas vantagens!
Enem e Vestibular
Área de humanas: conheça as profissões e como ingressar!
Área de humanas: conheça as profissões e como ingressar!

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro:

Olá! Que bom ter você conosco! :)

O Conteúdo Aberto oferece gratuitamente conteúdos com curadoria pedagógica para estudantes, escolas e famílias.
Para ter acesso aos melhores conteúdos, efetue seu login ou cadastro: